Jornada Nacional de Lutas, Brasília, 24/08/2011

Reunião do Soviet de Petrogrado em 1917

A Revolução Russa: expressão mais avançada de uma onda revolucionária mundial.

Diretas Já

Luta por dias melhores

domingo, 21 de janeiro de 2018

Luciano Cartaxo, a PMJP, Semob, a AETC, os empresários de ônibus e a eterna "conivência criminosa" entre todos quando se trata de reajuste de passagens



Por decisão do Conselho de Mobilidade Urbana, da Semob, órgão da PMJP, tomada na última sexta-feira, 19 de janeiro do corrente ano, segundo matéria do site ParlamentoPB (www.parlamentopb.com.br), divulgada no mesmo dia, a passagem de ônibus da cidade de João Pessoa foi reajustada, por unanimidade em votação pelos conselheiros do citado órgão, para R$ 3,55 e, ainda segundo o site, tal decisão já teria sido sancionada pelo prefeito Luciano Cartaxo (PSD) e passaria valer já nesta segunda-feira, 22 de janeiro. Um reajuste de 7,57% no preço da passagem, quando a inflação do ano passado, segundo índice oficial, foi de 2,51%, e o salário mínimo teve um reajuste de apenas 1,81% (R$ 17 apenas), dado pelo governo Temer, apoiado pelo prefeito de nossa capital, apenas para lembrar a todos/as.
Este é o "presente de grego" oferecido pelo prefeito Luciano Cartaxo em pleno ano eleitoral, ele que deseja tornar-se em outubro próximo governador da Paraíba e, assim como seu correligionário de partido, o ministro da Fazenda de Temer, aquele que recebe de aposentadoria cerca de R$ 250 mil mas que deseja destruir as aposentadorias de nosso povo, Henrique Meirelles, também quer ser candidato, mas mantém a alíquota do Imposto de Renda e os preços de gás de cozinha e gasolina nas alturas. Dá pra se ver que nosso prefeito tem aprendido bem as aulas com seus "professores".
Porém, é preciso colocar pra todos e todas os números absurdos que estão por trás de mais esse absurdo aumento das passagens de ônibus de João Pessoa. Antes disso, é preciso afirmar que estamos diante, mais uma vez, da mesma "conivência criminosa" que envolve a PMJP, os empresários do setor (que inclui a AETC, hj Setur) e a Semob, donde pertence o Conselho de Mobilidade Urbana, que serve apenas para atender aos interesses  da Transnacional, empresa que monopoliza o sistema de transporte coletivo em nossa capital. E como essa "conivência criminosa" se materializa??? Através de uma coisa chamada "planilha de custos", utilizada pelo citado Conselho, apresentada pelos empresários do setor para justificar o reajuste das passagens.
Tal "planilha de custos" possui vários itens, entre eles, o pagamento dos salários dos trabalhadores do setor e os encargos sociais destes, as peças de manutenção dos carros do setor, custo com pneus, combustível, dentre outros. Só que uma coisa é nosso/a leitor/a bancar pneus, por exemplo, para seu carro; outra coisa, bem diferente, é isso ser bancado para uma empresa; outra coisa é que existe uma empresa, que pertence ao dono da Transnacional, onde todas as empresas da capital compram pneus, peças a essa empresa (chama-se Unidas). Ou seja, os empresários do setor compram a uma mesma empresa, ou melhor ainda, a eles mesmos. Quando nos viramos para o combustível, a questão é semelhante. Todas as garagens possuem uma bomba de diesel (pelo menos) e o preço desse diesel é o mesmo da distribuidora, portanto mais barato do que no posto. Mas, quando se chega no Conselho de Mobilidade Urbana, nada disso é levado em consideração, leva-se em conta o preço atual de mercado, e aí........... Chegamos à "conivência criminosa" da qual falamos!!!
Vamos agora aos números. Para todos/as compreenderem, pegamos tais números desde 2005, época em que Ricardo Coutinho (atual governador da Paraíba) era o prefeito de João Pessoa. E porquê isso??? Por que foi com ele, a partir da construção do Terminal da Integração do Varadouro, que aprofundou-se a política da "conivência criminosa". Esta sempre existiu, mas foi a partir desse período que veio a se aprofundar, continuando desde então, chegando ao ponto em que, hoje em dia, o monopólio da Transnacional, tão denunciado por décadas, é uma realidade atual em nossa cidade.
Como já dissemos, o reajuste atual da passagem é de 7,57% em relação ao valor anterior, quando a inflação do período foi de 2,51% e o salário mínimo, 1,81%. Outros números seguem abaixo:

PERÍODO
REAJUSTE (em %)
2005-2010
46,15
2013-2018
54,34 (janeiro)
2013-2018
61,36 (julho)

Percebam que há um aumento considerável nos números, nos espaços de anos acima, apesar destes serem tão poucos. No primeiro período (2005-10), referente ao tempo em que Ricardo Coutinho ficou à frente da PMJP, o reajuste da tarifa dos ônibus superou a inflação do período, que foi de 29, 39%. Nos períodos seguintes, um esclarecimento: colocamos em parêntesis os meses citados por que, em junho de 2013 (ano do 1º mandato de Cartaxo na PMJP), ocorreram as famosas "Jornadas de Junho" e, nesse períodos, a PMJP baixou em R$ 0,10 o preço da passagem de ônibus. Assim, em janeiro desse ano, a passagem custava R$ 2,30 e, a partir de junho, passou a custar R$ 2,20. Dessa maneira, houve a variação demonstrada na tabela acima, em termos percentuais.  Mas, ainda há outros números a se analisar, ainda mais estarrecedores do que esses. Confiram:

Inflação 2005-2017
73,21%
Passagem JP 2005-2018
273,07

Esta tabela revela, definitivamente, e para quem quiser ver, a "conivência criminosa" que existe em nossa cidade entre a PMJP, os empresários do transporte coletivo e a AETC (hoje Setur). A diferença brutal existente entre a variação da inflação oficial do período acima e o reajuste das passagens de ônibus em João Pessoa, associadas à "qualidade" pra lá de duvidosa dos serviços oferecidos ao povo trabalhador de nossa capital, demonstram efetivamente essa triste e dura realidade vivida pelo nosso povo.
Não há dúvidas de que é preciso impedir mais esse assalto à mão desarmada, praticada em parceria pela PMJP, Semob e empresários do setor contra o povo de João Pessoa e lutar, com todas as forças, pela estatização do sistema de transporte coletivo em nossa cidade, com a formação de um Conselho composto por usuários do sistema de transporte coletivo e trabalhadores do setor!!! 
PS: Só mais uma coisa, para todos/as saberem: se fosse levada em conta apenas a inflação oficial do período para reajustar a tarifa de ônibus, o preço que pagaríamos pela passagem a partir desta segunda-feira, 22 de janeiro de 2018, seria de R$ 2,25, ou 57,77% a menos do que o preço a ser pago, definido por Luciano Cartaxo e seus aliados!!! 

domingo, 14 de janeiro de 2018

Crise??? Cadê a crise???



Há muito, pergunta-se sobre a danada dessa crise. O governo em questão vive falando sobre ela, seus aliados (corruptos) vivem falando sobre, os patrões também, todos vivem a falar dela para, através dela, justificar os inúmeros ataques que promovem, diuturnamente, sobre as nossas costas, sejam aprovando as "reformas" em curso, sejam implantando os/as corruptos/as ministros na Esplanada, tipo Marun e Cristiane, sejam colocando em prática um salário mínimo de miséria e, ainda por cima, tentando justificar quando percebemos os beneplácitos de uma justiça condescendente com o caos instalado. E assim caminha a humanidade, não sem resistência de setores organizados de nossa classe que não pensam apenas nas eleições 2018 e num "salvador da pátria", seja de direita ou de esquerda!!!
Na verdade, todos/as sabemos a resposta da pergunta-título desse artigo. Mas, queremos, mais uma vez, expor que a dita crise só existe como figura de retórica da nossa elite para justificar tudo que vem promovendo de ruim contra nosso povo trabalhador nos últimos tempos.
Para justificar essa linha de argumentação, pegamos dois dados oficiais que qualquer um que lê esse artigo pode verificar e constatar. Um deles é o estudo dos repasses do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), a ser feito em 2018, pelo Observatório de Informações Municipais. Esse estudo foi elaborado no final do ano passado e afirma que pode haver uma variação, para cima ou para baixo, de 5% no valor de cada montante estimado para cada município brasileiro citado. É um dado importante a ser observado nesse aspecto. Quem tiver a curiosidade observar o referido estudo, verificará que todos os municípios nacionais (de todos os Estados) são citados, mas decidimos apenas observar alguns da Paraíba, para constatarmos a falácia do discurso da crise. Pois vejam abaixo, na tabela I:

ESTIMATIVA FPM 2018 – PARAÍBA
Município
Valor FPM (em R$)
João Pessoa
271.207.095
Campina Grande
75.071.386
Santa Rita
40.669.176
Patos
36.150.379
Bayeux
33.890.980
Sousa
27.112.784
Cabedelo
27.112.784
Cajazeiras
27.112.784

Fonte: Observatório de Informações Municipais, Rio de Janeiro, Outubro/2017

Para explicitar a todos/as, as quantias constantes na tabela acima são anuais. Mesmo assim, não deixam de ser generosas. Como falei anteriormente, se desejarem saber quanto seu município receberá esse ano, é só consultar a fonte citada. O mais importante é verificar que a "crise" não está nos municípios, mas sim noutro canto.....
Além do FPM, tivemos a curiosidade de atentarmos para um outro dado bastante interessante, que é verba do Fundeb, vinda anualmente do MEC e que todo final de ano este divulga uma estimativa por município para o próximo ano. Observamos esses dados em alguns municípios paraibanos e fizemos a variação percentual do que deverá vir de Fundeb para cada município, em 2018, comparado ao que estava previsto para vir em 2017. Confiram na tabela II abaixo:

ESTIMATIVA FUNDEB 2018 – PARAÍBA
Município
Valor (em R$)
Variação em relação a 2017
João Pessoa
198.305.473,49
+9,71%
Campina Grande
100.423.057,42
+4,94%
Santa Rita
50.115.824,78
+8.96%
Bayeux
36.793.747,75
+9,78%
Cabedelo
22.844.052,06
+0,65%

Fonte: MEC, Dezembro/2017

Pegando os 5 municípios mais "tradicionais" da Paraíba, segundo o critério da arrecadação, verificamos que, dentre estes, a capital João Pessoa continua sendo a que mais recebe Fundeb (até pelo seu tamanho e, consequentemente, número de matrículas), mas observamos que, em números percentuais, existe para 2018, um empate técnico entre João Pessoa e Bayeux, apesar desta atravessar uma crise política de graves proporções recentemente, envolvendo sua classe política. Ao mesmo tempo, Cabedelo (que também atravessa uma crise política), não cresceu praticamente nada em seu Fundeb. Para nós, a grande surpresa dessa relação foi o crescimento de Santa Rita, que vem de uma crise política muito grande e surge em 3º lugar, atrás apenas das duas principais do Estado, nesta tabela.
Porém, a tabela III nos revela algumas surpresas. Nesta, colocamos três municípios que estão na tabela I e não surgiram na tabela II. Confiram abaixo:

ESTIMATIVA FUNDEB 2018 – PARAÍBA
Outros municípios
Município
Valor (em R$)
Variação em relação a 2017
Patos
33.701.357,06
+17,25%
Cajazeiras
19.271.407,16
+10,93%
Sousa
17.361.853,64
+0,91%
Fonte: MEC, Dezembro/2017

Como podem observar, as cidades de Patos e Cajazeiras tiveram uma variação anual muito superior à de todas as cidades da tabela II. Patos, inclusive, superou em muito todas as outras.
Tudo isso serve para demonstrar a nós que a "crise" que Temer, Meirelles, Padilha, Ricardo Coutinho, Cartaxo, Panta, Luiz Antonio, Lula e todos/as falam serve apenas para justificar os duríssimos ataques que eles/as vem promovendo contra nossa classe e, ao mesmo tempo, nos "desarmar" contra tudo isso. Não podemos acreditar em nenhum momento nessa canalha, mas sim em nossas próprias energias vivas e continuar lutando contra tudo isso!!! 


segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

A formação da minha consciência


Marx já afirmava em "A Ideologia Alemã" que " (...) A consciência é portanto, desde início, um produto social, e assim sucederá enquanto existirem homens em geral". Tal afirmação se sustenta até hoje porque não há como contestá-la. Rousseau também já afirmara que somos "produto do meio" em que vivemos e, tal qual a consciência que possuímos, a adquirimos nessa convivência social que temos durante nossa existência.
Evidente que tal pensamento não é consensual, há divergências. E bom que existam diferenças em relação a isso, pois assim desenvolvemos o pensamento científico, desde que existam respeito entre as partes.
A consciência humana e, dentro desta, a consciência política, se forma de várias maneiras, variando de pessoa para pessoa. Cada um/a tem sua história pessoal a contar sobre como isso se originou. Uns foi através de sua experiência de vida, muitas vezes sofrida, outros através dos estudos pessoais, científicos. Outros, ainda, aliados à vida pessoal com os estudos. Alguns ainda tal consciência política ocorreu de forma casual. Vou tentar contar-lhes como se deu a minha.
Creio que minha consciência política se construiu unindo a forma casual com a experiência de vida, seguida anos mais tarde com a leitura de algumas fontes científicas, dadas por contas de meu ingresso na militância política. Mas, o início de tudo mesmo, credito à causalidade misturado à experiência de vida. Creio também ser a primeira vez que abordo este tema, pelo menos publicamente. Acho que a chegada dos 50 anos ajuda um pouco nisso!!!
Esse início se deve, creio eu, à minha juventude vivida em Maceió. Vivi na capital alagoana entre 1975 - 1983 quando, movido pelas mortes prematuras de meu pai e minha mãe, acabei indo morar em João Pessoa, aonde nasci. Quando lá morei, nas minhas férias escolares, ou finais de semanas, costumava viajar com meu pai para o interior de Alagoas entregar as encomendas da pequena fábrica que meu pai tinha. Ele era proprietário de uma pequena fábrica de cadeiras de ferro para terraço e, quando ia fazer entregas nas cidades do interior, ia com ele na velha e boa kombi azul que tínhamos. Foi assim que conheci boa parte do estado de Alagoas. E, creio eu, vendo a dura realidade dos trabalhadores da fábrica, viajando pelo interior de Alagoas, observando a vida das pessoas naquelas cidades, as dificuldades da vida de meu pai e de minha mãe (que era datilógrafa na Assembleia Legislativa de Alagoas, à disposição do mesmo órgão da PB) que, sem saber e sem querer, minha consciência política foi se moldando (e continua se moldando ainda hoje, pois tudo faz parte de um processo).
Só vim perceber tudo isso recentemente, após uma conversa num quiosque no centro da cidade, quando um desconhecido falou isso pra mim. Ou seja, alguém de fora, completamente desconhecido para mim, precisou alertar meus neurônios e sentidos para que despertasse em mim esse sentimento e pudesse colocar ao conhecimento de todos/as essa história.
Mais uma vez, a história se repete. Algo de fora se manifesta para que possamos expressar nossa memória e colocar para fora toda nossa história. 

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Bayeux entra para a História.........Pela positiva ou negativa, cada um/a escolhe!!!




Além da data oficial de sua emancipação política - 15 de dezembro de 1959 -, Bayeux terá, a partir de agora, duas outras datas a incluir em seu calendário histórico, com os recentes acontecimentos ocorridos em 2017, ambos com a figura de Berg Lima: 05 de julho e 29 de dezembro deste "memorável" ano para a quase sexagenária cidade paraibana, distante apenas 6km do centro da capital, João Pessoa.
Para alguns/algumas moradores/as da cidade, ambas as datas podem significar tropeço e redenção, nesta ordem; ou vergonha, nos dois momentos. Ou quaisquer sinônimos que queiram dar aos fatos. Na verdade, este blogueiro e militante político acredita que Bayeux perdeu a grande chance - histórica, inclusive - de mostrar ao país de como se faz ao aplicar a lei, dentro e fora do parlamento, com povo nas ruas, contra aqueles que se utilizam do cargo público para se beneficiarem. Mas, não foi assim que 10 vereadores/as da cidade entenderam e, desta forma, acabaram por salvar da cassação o prefeito afastado Berg Lima (sem partido), mesmo com as mais elementares provas constantes num farto processo movido pelo MP da Paraíba, através do Gaeco.
Os/as 10 vereadores/as que salvaram Berg Lima da cassação têm nome e partido e são: França (Podemos), Netinho (PSD), Kita (PSB), Subtenente Ricardo (PP), Lico(PSB), Zé Baixinho (PMN), Guedes da Informática (Podemos), Noquinha (PSL), Uedson Orelha (PSL) e Adriano do Táxi (PSL). Esses/as são os/as responsáveis pela situação que Bayeux, a 5ª cidade da Paraíba em PIB do nosso Estado, ainda atravessará por mais alguns anos.
Pois se nosso país atravessa uma grave crise econômica e política (apesar do governo Temer e seus fiéis aliados insistirem em repetir que não), em Bayeux, o ano de 2017 não foi diferente, especialmente a partir da 05 de julho, com a prisão em flagrante de Berg Lima. Evidente, que há todo um histórico (negativo) antes daquele trágico episódio, que alguns quererão esquecer, mas estaremos sempre aqui, tal qual o grilo falante da velha fábula por todos/as conhecida a relembrar aos incautos/as "esquecidos/as". 
O que importa a dizer, neste momento, é que Bayeux perdeu esta chance histórica de se mostrar ao Brasil e ao mundo como uma cidade diferente, dentro de um país cheio de sujeiras e escândalos diários de gente corrupta e sem escrúpulos, que encara o público como sendo seu e que "escarra nessa boca que te beija", como diria o brilhante Augusto dos Anjos!!!
Não é preciso ser um expert em Direito nem tampouco ser ministro do STF para saber que, logo após o encerramento do recesso judiciário do TJPB, que acaba no próximo dia 20 de janeiro deste ano, os advogados de Berg Lima (pagos com o dinheiro público de cada trabalhador/a honesto, decente e pobre de Bayeux, desde que este foi preso em flagrante), entrarão com um recurso naquela Casa Judiciária pedindo que este retorne ao cargo de prefeito de Bayeux, já que os/as 10 vereadores/as da cidade o livraram da cassação, no final do ano passado. E a justiça paraibana, muito provavelmente, atenderá ao pedido, já que assim tem sido o comportamento do judiciário quando as Casas Legislativas tratam os casos envolvendo seus pares. E, após isso, acontecerá provavelmente o que nós, que fazemos parte do Coletivo Resistência, Luta e Participação - Oposição à Direção do SINTRAMB -*, tanto temíamos que ocorresse em nossa cidade: que esta se transformasse, efetivamente, em uma Santa Rita II, com ambos os lados recorrendo à justiça para ocupar a cadeira principal da Prefeitura, num jogo de puro poder, deixando a cidade e seus habitantes completamentes paralisados/as!!!
Aguardemos as cenas dos próximos capítulos........................ 

*Em outro artigo, abordaremos a omissa participação da atual direção do SINTRAMB durante toda essa crise!!! 

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

O "Fica, Temer", o "perdão aos golpistas" e a construção do dia 10/11



Aproxima-se a chegada do dia 10/11, o Dia Nacional de Lutas contra as "reformas" do governo Temer, construída a partir do setor metalúrgico do país e incorporado por várias outras categorias, a partir dos servidores públicos federais, com decisão nacional do Fonasefe, mas também de outros  e setores, como os/as trabalhadores/as de Correios, petroleiros, pessoal da educação básica e tantos outros/as trabalhadores/as em todo nosso país, indignados com tantos ataques do governo Temer, por causa das "reformas" trabalhista, previdenciária,a lei da terceirização e demais "flechas" desferidas por este governo, que não se cansa de atacar nossa classe e demais setores explorados.
Para combater este governo, torna-se fundamental construir a mais ampla unidade de nossa classe e dos demais setores explorados, em cima de um programa igualmente unificado, que busque agregar todos/as em torno a uma luta anticapitalista, contra todos esses ataques que vimos sofrendo há anos.
Porém, a construção dessa unidade vem sendo posta à prova seguidas vezes e não vem sendo fácil sua construção. Infelizmente. Na última semana, pelo menos dois fatos da conjuntura nacional, contribuíram decisivamente para isso e precisam ser colocados para que possamos, dessa forma, explicitar nossas divergências, para assim, construirmos essa tão falada unidade. Pois será assim que poderemos construir a tão falada unidade. Se é que queremos mesmo construí-la.
Ambos os fatos foram expressados pela maior das lideranças populares de nosso país, o ex-presidente Lula. Segundo o jornal "Valor Econômico", na quinta-feira passada (26/10/17), na cidade mineira de Salinas, durante sua caravana, ele afirmou com todas as letras que "já não é mais o momento de pedir a saída antecipada do presidente Michel Temer". E completou. Disse que o povo deveria, em vez de ficar gritando "fora Temer", "defender o nome de um nome de um novo presidente".
Em seguida, no dia 30/10/17, no jornal "Estado de São Paulo", saiu a publicação de que, também em Minas Gerais, só que na capital, Belo Horizonte, Lula estaria "perdoando os golpistas". Isso ao lado da ex-presidente Dilma Rousseff e do governador Fernando Pimentel, ambos do PT, e para uma grande plateia presente a um ato realizado naquela capital.
As duas falas são um balde de água geladíssima na construção de quem pretende construir um mínimo de ação unitária para o próximo período, em se tratando de lutas nesse país. Pois, como unificar algo com quem pensa única e exclusivamente em construir não as lutas, mas apoios e alianças para as eleições de 2018??? Como unificar com quem pensa em se unir a Renan Calheiros e demais "golpistas" e professar a palavra de ordem "Fica, Temer", ao invés de organizar o povo trabalhador de nosso país para derrotar esse governo e construir um poder que tenha, efetivamente, cheiro de povo???
Apesar de todas essas dificuldades, nós do PSTU e que ajudamos a construir a CSP Conlutas, estaremos na linha de frente na construção de um vigoroso e forte dia 10/11, o Dia Nacional de Lutas contra as "reformas" do governo Temer, a partir das bases de nossa classe, para que possamos, a partir dessa data, construirmos uma nova greve geral nesse país. Apesar dos "perdões aos golpistas" e aos "Fica, Temer"!!!

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Berg Lima merece justiça ou pena???



Nesta quarta-feira, 23 de agosto do corrente ano, o TJPB julgou um agravo de recurso dos advogados do ex-prefeito Berg Lima, da cidade de Bayeux, para que este fosse libertado e pudesse assim, responder às graves acusações das quais é acusado em liberdade. Berg Lima está preso desde o dia 05 de julho deste ano, quando foi preso em flagrante, por conta de uma operação conjunta entre a Polícia Civil e o Gaeco, acusado de receber uma propina do dono de um restaurante da cidade de Bayeux, no valor total de R$ 11.500. Na ocasião da prisão, o então prefeito havia recebido do dito empresário R$ 3.500, envolto em um envelope, tudo gravado em áudio e vídeo pela força tarefa e amplamente divulgado pela imprensa, para todo o país. Desde então, Berg Lima foi julgado e afastado de seu cargo pelo TJPB, estando preso no 5° BPM no Valentina Figueiredo desde a data acima citada. Luiz Antonio, do PSDB, seu vice, foi alçado ao posto de prefeito da cidade desde o dia 16 de julho deste ano e corre na Câmara Municipal da cidade um processo de cassação contra ele. Dias após o flagrante, Berg Lima foi expulso dos quadros do Podemos, seu partido até então.
O julgamento feito pelo TJPB na questão de Berg Lima resultou em 10 votos a 3, contra o relaxamento da prisão do ex-prefeito. Assim, Berg Lima continuará preso, segundo a vontade da maioria dos desembargadores paraibanos. Isso suscitou, quase que imediatamente, um debate nas redes sociais, onde algumas pessoas alegavam ter "pena" da situação de Berg Lima e de sua família por conta dessa decisão da justiça. Vereadores da cidade de Bayeux alegaram, do alto da tribuna, até mesmo o fato da esposa de Berg Lima estar no 3° mês de gravidez e ele (Berg Lima) não estar presente ao pré-natal de seu filho. Diante disso, perguntamos a todos/as: Berg Lima merece justiça ou pena pelo erro que cometeu, em 05 de julho desse ano, no restaurante Sal e Pedra???   
Vamos, em primeiro lugar, recapitular a todos/as o que Berg Lima, então prefeito de Bayeux, fez na tarde do dia 05 de julho de 2017, no restaurante Sal e Pedra, em Bayeux, por livre e espontânea vontade: recebeu, num envelope fechado, das mãos do dono do restaurante, R$ 3500, fruto de um acordo prévio feito para se quitar dívidas da Prefeitura com o estabelecimento em gestões anteriores. E, dessa forma, foi flagrado pela força tarefa da Polícia Civil + Gaeco e preso. Desde então, está preso no 5° BPM do Valentina Figueiredo.
Agora, com a reafirmação de sua prisão, algumas pessoas estão sentindo pena de Berg Lima e até mesmo argumentando que ele deveria estar presente ao pré-natal de seu primeiro filho, já que sua esposa já está grávida.
Queremos dizer, sobre essas questões, algumas coisas. Em primeiro lugar, concordamos com o raciocínio de algumas pessoas de que seria uma "injustiça" Berg Lima estar preso enquanto alguns figurões da política nacional continuam livres, leves e soltos por aí. Mas, até mesmo nesse caso, existe uma relatividade a ser posta. Defendemos que não apenas Berg Lima seja preso por conta de maracutaia ou coisa do tipo, mas que todos, independente do posto e/ou prestígio social ou político possa ter, seja preso, pague exemplarmente pelo seu erro e tenha seus bens devidamente confiscados. É isso que defendemos!!!
Outra coisa é que não nos comove, de jeito nenhum, esse chororô de algumas pessoas, de que o ex-prefeito Berg Lima deva ser merecedor de dó e compaixão porque está preso e não poderá acompanhar sua esposa grávida de seu primeiro filho ao primeiro pré-natal dela. Por acaso, Berg Lima pensou nisso quando cometeu o erro no dia 05 de julho de 2017??? Por acaso, é apenas Berg Lima que é pai no presídio aonde se encontra e que não poderá acompanhar um pré-natal de seu filho que está pra nascer??? Por acaso, os defensores dos direitos de Berg Lima pensaram nisso ao defenderem isso???
Portanto, é pensando em justiça não apenas para Berg Lima, mas para todos/as que expresso, aqui, minha opinião!!!    

quarta-feira, 26 de julho de 2017

O prefeito Luiz Antonio começa a mexer os pauzinhos...........




O novo prefeito de Bayeux, Luiz Antonio (PSDB), que tomou posse recentemente após o escândalo de corrupção envolvendo o ex-prefeito Berg Lima, preso em flagrante recebendo dinheiro por conta de um suposto pagamento de uma dívida da Prefeitura com o estabelecimento (segundo a denúncia), começa a se mexer na cadeira. Assim, caiu no colo de Luiz Antonio, em 6 meses, a responsabilidade de administrar Bayeux, com todos seus problemas (que não são poucos).
Nesses poucos dias em que está frente da Prefeitura (Luiz Antonio assumiu no dia 19 de julho passado), ele tem estado entre "tapas e beijos", como se diz na música famosa. Já acenou, como se esperava, para membros de seu partido, o PSDB. Privilegiou seu partido e correligionários na montagem do novo secretariado municipal e posou pra foto com o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB), teve em pouco mais de 24h uma baixa em seu secretariado, com a saída da então secretária de Administração, uma reunião onde (segundo informes), teria sido muito duro com os vigilantes municipais da cidade, mas ao mesmo tempo, acenou para estes, com a possibilidade da categoria escolher entre seus quadros o novo diretor do Departamento Municipal de Vigilância, coisa que ocorreu na segunda-feira, 24 de julho do corrente, nas dependências do CEFOR. E agora, nesta terça-feira, 25 de julho de 2017, o prefeito Luiz Antonio baixa um decreto, de número 027/17, que na prática, revoga o decreto 021/17, feito pelo ex-prefeito Berg Lima, em junho desse ano. 
O que significa isso, em especial para os servidores municipais de Bayeux??? Muita coisa, senão vejamos.
Em primeiro lugar, queremos dizer que, enquanto estivemos na direção do SINTRAMB, e mesmo como servidor municipal de Bayeux, sempre defendemos (assim como está previsto em lei) que houvesse isonomia salarial em nossa categoria de servidores municipais, coisa a ser feita pela Prefeitura Municipal de Bayeux, e isso deveria ser garantido a toda a categoria, fosse efetivo ou contratado.
Em segundo lugar, sempre defendemos, estando ou não na direção do SINTRAMB, que o ingresso na carreira do serviço público deve se dar através de concurso público (e isso está colocado pela lei maior do nosso país, a Constituição Federal), mas que como nosso município está recheado de servidores/as contratados (seja prestadores de serviço e/ou comissionados), esses/as devem, em nossa avaliação, os mesmos salários que os efetivos e mesmos direitos trabalhistas, pois afinal de contas, possuem as mesmas funções, mesmas responsabilidades e mesmas jornadas de trabalho do que os demais servidores efetivos. Portanto, não pode haver diferenças pois afinal de contas, todos/as somos são trabalhadores/as, apenas uns e outros/as são mais precarizados/as que outros/as.
Isso está garantido, inclusive, em lei municipal votada e aprovada pela Câmara Municipal de Bayeux, encaminhada para a mesma pela gestão do ex-prefeito Expedito Pereira (PSB), mas que ele mesmo nunca cumpriu. O prefeito Berg Lima, que se dizia crítico deste, repetiu o anterior e publicou um decreto apenas pra fazer "jogo de cena" com a categoria e criou ainda uma coisa que nós, na direção do SINTRAMB, rechaçamos de pronto quando o então prefeito Expedito Pereira nos afirmou, em uma reunião, que pretendia fazer. No decreto 021/17, Berg Lima criou vários níveis de gratificação para as direções de escola, variando esses níveis de acordo com o número de alunos que cada escola possuía. Ou seja, uma direção de escola pequena receberia uma gratificação X, enquanto uma direção de escola grande receberia uma gratificação Y. Isso era um verdadeiro absurdo!!! Por duas razões: primeiro, que a direção da escola pequena não tinha culpa alguma de trabalhar naquela escola; e segundo, porque numa escola se trabalha com gente, e às vezes é mais difícil trabalhar com 200 pessoas do que com 1000, por exemplo. Na época, Expedito Pereira (que desejava fazer isso para toda a categoria, não seguiu adiante com sua ideia), mas Berg Lima implantou isso para as direções com seu decreto, porém para os prestadores de serviço.
O problema que verificávamos no decreto 021/17 era que ele não levava em consideração uma bandeira que sempre levamos em nossa luta política, e que já colocamos nesse artigo: a defesa da isonomia para toda nossa categoria, seja efetivo ou contratado. Berg Lima não levou isso em conta e preferiu fazer demagogia apenas com os prestadores de serviço, fazendo isonomia entre eles, desprezando os demais servidores. Outro absurdo da ATITUDE em Bayeux!!! E olhem que Berg Lima pertence (ainda) ao IFPB.............
Com este decreto, o 027/17, Luiz Antonio restabelece o "feito à ordem", como se diz. Esperamos que, após essa medida, ele continue abrindo o diálogo com a categoria dos servidores municipais de Bayeux e tome outras medidas para o pronto restabelecimento do serviço público em Bayeux. Uma boa medida seria fazer com que a Prefeitura Municipal de Bayeux cumprisse a decisão judicial, que é de 21 de março desse ano, que determina que, em 90 dias, a Prefeitura de Bayeux nomeie todos os aprovados no concurso público de 2012 e,ao mesmo tempo, demita todos os servidores que estão ocupando os cargos desses aprovados na administração pública. Essa decisão já venceu em 21 de junho último. Portanto, caro Luiz Antonio, vamos cumprir a decisão judicial!!!
Outra coisa a fazer é discutir com o pessoal de apoio e os vigilantes o pagamento (retroativo) dos reajustes salariais dessas categorias, que já deveriam ter sido feitos em janeiro desse anos, e que o prefeito Berg Lima não fez. É preciso sentar e debater com essas categorias, através de uma representação dessas categoria e a direção do SINTRAMB esse assunto. Isso sem falar na recuperação física e na melhoria das condições de trabalho da categoria em todos os locais de trabalho, em Bayeux. Isso vai servir não apenas para os servidores municipais, como também para a população da cidade, em especial!!! 

terça-feira, 18 de julho de 2017

Luiz Antonio monta sua equipe. E aí, Bayeux???



Na manhã de18 de julho de 2017, no auditório do CEFOR, em cerimônia muito concorrida, o novo prefeito de Bayeux, Luiz Antonio (PSDB), anunciou e empossou sua nova equipe de secretários e secretárias, que o ajudarão a governar Bayeux daqui por diante. Segundo ele, "a cada seis meses o trabalho dos secretários será reavaliado" (site da prefeitura). Isso se deve, ainda segundo Luiz Antonio, ao fato dele vir da "iniciativa privada e pretendo implantar no município uma gestão de resultados, por isso se faz necessário uma reavaliação semestral" (idem). Ele também afirmou, durante a posse do novo secretariado, que nesta quarta-feira, 19 de julho, se reunirá com todos/as, onde serão estabelecidas as metas para os primeiros 180 dias de novo governo.
Antes de tratarmos das primeiras falas do novo prefeito de Bayeux, avaliaremos os nomes por ele escolhidos para sua equipe de governo.
Luiz Antonio escolheu 31 nomes de 18 secretarias. Desses nomes, 8 são de mulheres e o restante de homens. 12 nomes (38,7%) da equipe do antigo prefeito, Berg Lima, foram mantidos, enquanto Luiz Antonio escolheu 19 novos nomes. Pelo menos esse blogueiro reconhece dois desses novos nomes como sendo extremamente ligados ao ex-prefeito Expedito Pereira (PSB): a ex-vereadora Célia Domiciano (DEM), indicada para ser secretária da Mulher e o secretário adjunto de Planejamento, Ciência e Tecnologia, Zades Lira. Se houver mais algum outro nome que se encaixe nesse perfil, podem me corrigir.
Mas, vamos analisar o restante da equipe de Luiz Antonio.
De maneira geral, o novo prefeito de Bayeux preferiu não mexer muito no secretariado municipal, dando a nítida sensação de que não pretende transformar de forma geral a performance da administração de Bayeux, como se chegou a anunciar e pensar. Desse modo, a composição do secretariado reflete um pouco disso, pelo menos em seu 1º escalão. A composição do 2º e 3º escalões não deverão ser diferentes. Ou seja, pouca coisa deverá mudar em Bayeux, pelo menos nesse aspecto. Consequentemente, Bayeux mudará muito pouco nesse quesito.
Um dos nomes que nós apostávamos com muita gente que permaneceria, ficou. Era o da secretária de Educação, Adriana Diniz. Ronaldo Luiz, também da gestão de Berg Lima (e vice-presidente do Podemos, em Bayeux), é seu adjunto. Ela ficou por conta de sua relação antiga com o todo-poderoso do PSDB na Paraíba, Ruy Carneiro, e consequentemente, também com o atual prefeito, Luiz Antonio. Além de seu trabalho à frente da secretaria, que reflete sua qualidade profissional. Qualidade essa que já falei aqui e em outros lugares a respeito, mas nós não estamos tratando aqui disso, mas sim de política, infelizmente. Adriana, como qualquer um outro, podia ser a melhor profissional do mundo, mas se não tivesse a relação política que tem com o prefeito e Ruy Carneiro, não estaria aonde está.
Além de Adriana Diniz, outros 11 nomes permaneceram em secretarias municipais, alguns como titulares, outros como efetivos. Alguns na mesma pasta, outros em locais diferentes. Na mesma pasta, ficaram (além de Adriana), Ediclê Travassos (Trabalho e Ação Social) e Paulo Sérgio Coelho (Segurança Municipal). Este, inclusive, é um sintoma explícito de que Luiz Antonio faz o mesmo que Berg Lima: promove a cooptação explícita do SINTRAMB quando o indica para a Prefeitura Municipal de Bayeux. Desloca Cariolando Félix para Secretaria de Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Turismo, além de Johannes Carneiro para Secretaria de Gestão e Controladoria. Bruno Sena permanece como Adjunto da secretaria aonde Cariolando é titular. Jeandro Dantas volta para a secretaria de Fazenda e Carlos César vai para a secretaria adjunta de Administração. Completam o time dos "antigos" Diego de França (IPAM), Evilson Braz (Procon) e Paulo Neto (agora Coordenador de Comunicação).
Sobre os novos, gostaria de tecer comentários sobre uma figura, conhecida na cidade de Bayeux e que foi colocada como adjunta na secretaria de Trabalho e Ação Social: Jacyara Mendes. O que vou dizer a ela vale para os demais que, assim, como Jacyara, estão na mesma situação que esta. No caso específico dela, Jacyara foi sondada para ocupar um lugar na equipe de Berg Lima, mas não aceitou. Afirmou, na ocasião, não ter acordo político (entre outras coisas) com o projeto político defendido pelo então prefeito de Bayeux. Agora, contudo, integra a nova equipe municipal de nossa cidade. Quero, antes de mais nada, do fundo do coração, desejar boa sorte a Jacyara nessa sua nova caminhada. Mas, lembrar a ela que o projeto político de Luiz Antonio é, também, o projeto político de Berg Lima pois ambos foram eleitos na mesma chapa, na mesma eleição, pelo mesmo povo, defendendo em praça pública e no mesmo tribunal eleitoral as mesmas ideias. Assim, não é de se espantar que, apesar do palavreado diferente de Luiz Antonio em relação ao ex-prefeito Berg Lima (em alguns aspectos), as ações, em especial na composição de seu secretariado, as semelhanças sejam muito parecidas, quase idênticas.
No que diz respeito ao palavreado, como afirmamos acima, o que foi dito por Luiz Antonio durante a posse do seu secretariado resume um pouco do seu pensamento político e de como ele deverá atuar à frente da Prefeitura Municipal de Bayeux, de agora em diante. Ao afirmar que pensa a Prefeitura com os olhos de quem vem da "iniciativa privada" e, por isso,  pretende "implantar no município uma gestão de resultados, por isso se faz necessário uma reavaliação semestral", Luiz Antonio revela que olha a administração municipal com a visão de um empresário, visando apenas o lucro, sem observar o lado social, que é a questão que a Prefeitura deve verificar. Não somos contra que o serviço público apresente resultados, mas estes resultados não podem estar vinculados a resultados (leia-se lucros), conforme à fala do novo prefeito de Bayeux.
Não percebemos, na fala do novo prefeito de Bayeux, nenhuma menção à redução salarial dos servidores comissionados e/ou contratados, ou até mesmo ao cumprimento (por parte da Prefeitura) da decisão judicial, de 21/03 deste ano, que determinou que a administração municipal nomeasse imediatamente todos os aprovados do concurso de 2012 para ocupar seus lugares, ao mesmo tempo que demitisse todos aqueles que estivesse ocupando esses lugares em Bayeux. Como Bayeux não cumpriu até agora, cabe ao novo prefeito fazer isso agora.
Começou a nova gestão municipal em Bayeux. Ela já começa com o carro em movimento, assim não tem muito tempo pela frente. Tem que dar muitas respostas em muito pouco tempo. Vamos esperar, mas precisamos de respostas. Rápidas!!!  
  

Rei morto, rei posto. A nova situação política em Bayeux!!!



A partir da histórica (e fatídica) data de 05 de julho de 2017, quando o então prefeito de Bayeux, Berg Lima (então Podemos), foi pego em flagrante recebendo de um empresário local, R$ 3.500,00, que a cidade da Grande João Pessoa está mergulhada na maior crise política que esta já viveu em seus 57 anos de emancipação política (fará 58 anos no próximo dia 15 de dezembro deste ano). No dia seguinte ao fato, o então vice-prefeito, Luiz Antonio (PSDB), assumiu interinamente o cargo de novo prefeito da cidade, em posse concorrida, na Câmara Municipal da cidade.
Na sexta-feira passada, 14 de julho do corrente ano, o prefeito Luiz Antonio exonerou todos/as os/as secretários/as municipais da antiga gestão de Bayeux, deixando para anunciar na manhã de hoje, 18 de julho de 2017, o novo secretariado. E, ontem, na tarde de 17 de julho de 2017, o então prefeito Berg Lima, que já havia sido afastado do cargo pelo TJPB e está preso no 5º BPM, no Valentina, foi também por unanimidade afastado de seu cargo na Prefeitura, dessa vez por todos/as vereadores/as de Bayeux, que deram o sinal positivo ao pedido da denúncia formulado pelo vereador Adriano Martins (PMDB), dando início ao processo de cassação deste nessa Casa Legislativa. Logo após essa votação, foi feita uma outra, aonde foi escolhida a Comissão Processante, que foi composta pelos vereadores Lico (PSB), Roni Alencar (PMN) e Netinho (PSD). Essa Comissão, segundo o regimento da Câmara, terá até 90 dias para entregar um parecer para ser votado pelos demais vereadores/as da Casa. Neste período, deverão ser arrolados testemunhas a favor e contra o ex-prefeito Berg Lima, que também poderá se defender. 
Para completar o inferno astral de Berg Lima, também nesta segunda-feira à tarde, 17/07, a executiva estadual do seu partido, Podemos, se reuniu e decidiu por expulsá-lo de seus quadros por "não ter outro caminho", segundo o presidente estadual da legenda, o deputado estadual Janduhy Carneiro, aquele que foi acusado de ter sua esposa empregada na Prefeitura de Bayeux por Berg Lima, quando prefeito da cidade.
Como afirmamos no título do artigo, rei morto, rei posto. Berg Lima caiu, Luiz Antonio agora é, definitivamente, o prefeito de Bayeux. Hoje, 18 de julho de 2017, ele anuncia seu novo secretariado. Isso dará o novo perfil da gestão municipal e, consequentemente, a "cara" que Luiz Antonio quer dar à nova administração municipal em Bayeux. O que nos resta, nesse momento, é aguardar e ver o que nos espera daqui pra frente. Mas, continua valendo o que afirmamos na Carta Aberta que fizemos, recentemente, ao novo prefeito Luiz Antonio (http://antonioradical.blogspot.com.br/2017/07/carta-aberta-ao-novo-prefeito-de-bayeux.html).   

segunda-feira, 10 de julho de 2017

A "unidade" entre PT e PSB em Bayeux




Recentemente, nas últimas eleições municipais, ocorrida em outubro de 2016, em todo o país e também em Bayeux, PT e PSB marcharam em campos opostos. O primeiro (PT) participou e apoiou, desde a primeira hora, o candidato Berg Lima, do então PTN, incluindo uma ampla aliança eleitoral, donde participava não apenas o PTN e PT, mas também legendas de direita, como PR, PTC, PTB, PHS, PPS, a legenda de verniz de "esquerda" REDE  e o tucano PSDB, que tinha o vice na chapa, Luiz Antonio. Já o PSB, partido do governador Ricardo Coutinho em nosso Estado, tinha candidatura própria, o então prefeito da cidade, Expedito Pereira, que tentava na ocasião seu quinto mandato à frente da Prefeitura local, também comandando uma ampla aliança, que incluía partidos de direita, como PMDB, PSD, PSL, DEM, PRB, PV, PMN, PSC, PP, PRP, e os representantes da "esquerda oficial", PDT e PCdoB. Haviam outras candidaturas, mas essa era a polarização que se dava em Bayeux, na campanha eleitoral do ano passado. E, nesse aspecto, PT  e PSB estavam (aparentemente) em campos opostos, como se pode notar.
Afirmamos aparentemente porque, assim que venceu as eleições, com ampla maioria de votos e tomou posse, em 1º de janeiro desse ano, os dois partidos - PT  e PSB -, passaram a apoiar o novo prefeito de Bayeux, Berg Lima (agora Podemos), e seu vice, Luiz Antonio (PSDB). Já na campanha, haviam alguns questionamentos ao apoio dado pelo PT ao então candidato Berg Lima e, após sua posse, mais críticas à participação desse partido à sua integração à nova gestão municipal. Tudo por conta da presença do PSDB na composição da nova Prefeitura de Bayeux, afinal, todos/as sabem que os dois partidos (PT  e PSDB) são adversários ferrenhos em nível nacional, tendo duramente se enfrentado nas últimas eleições presidenciais, com Lula e Dilma e, mais especialmente, na recente eleição de Dilma. Quando esta ganhou, o PSDB com Aécio Neves à frente, iniciou um duríssimo processo de ataques ao PT e a seu governo, que culminou com o impeachment de Dilma Rousseff e toda essa crise que estamos assistindo em nosso país, desde então. Assim, por causa disso, PT e PSDB não costumam sentar-se à mesma mesa, como diz o dito popular. Porém, em Bayeux, isso foi quebrado na prática com a gestão Berg Lima. E contou com a presença do PSB, acompanhando o PT nessa empreitada política. Sendo que o PT estava no governo e o PSB, no Legislativo. Mas, ambos apoiando o governo Berg Lima na cidade de Bayeux. Era a unidade entre as duas legendas se confirmando na prática, abençoadas pela presença do PSDB no Poder Executivo, numa das maiores cidades da Paraíba.
Ao longo do mandato de Berg Lima, todos/as  começaram a perceber os inúmeros problemas que esta enfrentava na gestão, com vários setores,mas esta unidade parecia não se incomodar com isso e continuava, de certa forma, preservada. Até que chega o dia 05 de julho de 2017 e tudo muda de figura, não apenas em Bayeux e na gestão Berg Lima, mas também na relação dessas legendas com esta.
No dia seguinte ao "terremoto político"  que varreu Bayeux, com a prisão em flagrante de Berg Lima e seu imediato afastamento do cargo de prefeito determinado pelo TJPB, além da posse do vice-prefeito da cidade, Luiz Antonio, no cargo de prefeito, o PT de Bayeux anunciou, através de uma nota, que lamentava profundamente os acontecimentos recentes vivenciados em Bayeux e, após uma série de motivações expostos nessa nota, anunciava que estava se retirando da gestão municipal, com a posse do novo prefeito da cidade.
Neste sábado, 08 de julho do corrente ano, em declaração dada ao jornalista Anderson Soares, publicada em seu blog (http://blogdoandersonsoares.com.br/2017/07/08/kita-diz-que-psb-e-oposicao-ao-governo-interino-representamos-projetos-diferentes/), o presidente do PSB  de Bayeux, vereador Kita, afirmou que seu partido será oposição ao novo prefeito, Luiz Antonio, por conta de PSB e PSDB serem "adversários em nível estadual".
Até nesse momento, PT e PSB possuem unidade. Até recentemente, quando Berg Lima estava comandando a Prefeitura de Bayeux, apesar de todos os ataques que sofria, seja da Câmara Municipal. seja da categoria dos servidores municipais, tanto PT quanto PSB defendiam e participavam dessa gestão, inclusive com cargos dentro dela. Agora, que seu principal chefe foi pego com a "boca na botija", preso em flagrante, recebendo dinheiro de um dono de restaurante local em troca de pagar dívidas da Prefeitura a esse empresário, os dois partidos se retiram da Prefeitura, porque "descobriram" que seus partidos são adversários do PSDB. 
Fica a pergunta: agora, PT e PSB de Bayeux entenderam que o PSDB é completamente diferente desses (pelo menos, em tese)??? Ou será que, com isso, pretendem enganar o povo de Bayeux, mais uma vez???
Ficam as perguntas. As respostas, o povo as dará!!!