Jornada Nacional de Lutas, Brasília, 24/08/2011

Reunião do Soviet de Petrogrado em 1917

A Revolução Russa: expressão mais avançada de uma onda revolucionária mundial.

Diretas Já

Luta por dias melhores

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Há razão para essa divisão???




A resposta para a pergunta do título desse artigo é sim e não. Isso explicaremos durante esse artigo.
Antes, queremos afirmar que escrevemos esse artigo poucas horas após realizarmos o ato "Fora Temer - contra as reformas", em frente ao Ministério da Fazenda, na avenida Epitácio Pessoa, em João Pessoa, organizado pela CSP Conlutas, Frente Povo Sem Medo e ADUFPB. E horas antes do ato "Fora Temer -contra as reformas - diretas já", organizado pela Frente Brasil Popular e seus satélites, que ocorrerá na tarde de hoje, no centro de João Pessoa.
Aí, surge a pergunta: porquê essa divisão entre as organizações que, até pouco tempo, estavam juntas, construindo a luta contra o governo Temer e suas "reformas", inclusive unidas no nosso Estado na organização da vitoriosa greve geral de 28/04??? O que motivou tudo isso???
É preciso, antes de mais nada, relembrar pontos importantes desse processo.
Em 27 de março desse ano, em uma reunião ocorrida em São Paulo, após vários momentos de luta protagonizados pela classe trabalhadora durante o mês de março, como os dias 08 e 15 de março, contra os ataques do governo Temer à classe trabalhadora de nosso país, todas as centrais sindicais de nosso país (CSP Conlutas, CUT, CTB, CGTB, CSB, UGT, NCST, Intersindical e Força Sindical) se unificaram em torno de bandeiras muito caras para nossa classe, que estão sendo muito atacadas pelo atual governo, com as "reformas" da Previdência, Trabalhista, além das leis da Terceirização, da "reforma" do Ensino Médio, da PEC 55 e tantos outras medidas do governo Temer. Pouco após essa reunião, houve outras manifestações contra o governo Temer, nos dias 28 e 31/03.
Isso tudo foi suficiente para que essas centrais superassem, momentaneamente, suas diferenças políticas e unificassem, na luta, sua atuação contra essa corja de canalhas instalada no Planalto Central. Assim, com todas as dificuldades postas na mesa, em todo o país, construímos esse processo e conseguimos algumas vitórias importantes, como a vitória da greve geral de 28/04. 
Porém, após essa vitória, quando pensávamos que teríamos outro grande sucesso, com o Ocupa Brasília (que já está ocorrendo neste momento em que escrevemos), eis que surge no meio do caminho um escândalo do governo Temer (mais um e de grandes proporções) e que vem a provocar uma série de interpretações, dúvidas e, principalmente, saídas para a grave crise política que se instala no país, a partir de então. Seja para a direita, quanto para a esquerda, em especial.
Essas prováveis "saídas", no que diz respeito para os setores da esquerda, infelizmente, acabou provocando em nosso Estado - para falar apenas da Paraíba - uma divisão neste setor, especialmente  entre os/as defensores das consignas "diretas já" e "operários e povo no poder".
Não queremos nem iremos aqui nos estender nos argumentos de nenhuma dessas consignas. Quem me conhece sabe perfeitamente qual das duas eu defendo. O que quero colocar aqui  para reflexão, neste momento, é que esta divisão atual, de hoje, em nosso Estado, é lamentável, para se dizer o mínimo.
Isso porque, em várias reuniões do Comando Estadual do Ocupa Brasília, afirmei que respeitava (e respeito) as várias posições sobre as "saídas" para a atual crise que vivemos, mas que todos/as precisam aprender a viver em unidade e não apenas em identidade!!! É isso que muitos/as precisam exercitar desde já. Sair da teoria e ir para a prática!!!
Por isso, respondi a pergunta-título acima com sim e não. Sim, porque se formos buscar a resposta em nossas divergências históricas, encontraremos a resposta positiva para tal "divisão". Não, porque se observarmos a luta atual, com seus desdobramentos concretos, veremos que a reposta negativa é a mais plausível possível.
As cenas dos próximos capítulos dessa novela, que nunca se acaba, dirão o que ocorrerá....                    

domingo, 7 de maio de 2017

O lixo de Bayeux e a gestão da ATITUDE!!!



Mais uma vez (pra variar...), iremos discorrer sobre a gestão da ATITUDE, que governa a 5ª maior cidade do Estado da Paraíba em arrecadação de impostos e de PIB, a nossa Bayeux: a gestão do prefeito Berg Lima, do Podemos. Desta vez, para sobre a questão do lixo nesta cidade.
Berg Lima foi eleito em Bayeux sob uma onda muito forte do povo da cidade, que reclamava - com razão - do descaso da antiga administração municipal do então prefeito, Expedito Pereira (PSB), com que esta tratava a coleta do lixo na cidade, em especial na periferia de Bayeux. Neste sentido, bairros como o da Imaculada, Mário Andreazza, dentre outros, eram muito sofridos. Ocorreram inúmeros casos nesta administração, em vários pontos da cidade, como Tambay e São Bento, por exemplo, em que a população formou verdadeiras barricadas de lixo por conta da ausência do poder público nestas localidades para realizar a coleta do lixo. Denúncias de falta de pagamento às empresas coletoras, atraso nos pagamentos dos funcionários dessas empresas por parte da Prefeitura, existência de uma "máfia do lixo" articulada pela própria Prefeitura (nunca devidamente comprovada, mas havia rumores disso pela cidade), enfim, o que todos/as percebiam na cidade era um verdadeiro caos quando o assunto era tratamento do lixo no município de Bayeux. E disso se aproveitava, dentre outros, o então candidato Berg Lima, do então partido PTN, hoje  prefeito da cidade do partido "Podemos".
Afirmava Berg Lima em seu programa, durante a campanha, sobre tal questão, entre outras coisas: "implantação da coleta seletiva do lixo da cidade"; "unidades de coleta de lixo eletrônico"; "construção de uma unidade de reciclagem para comunidades de baixa renda em forma associativa e cooperativa"; "fortalecimento do conselho municipal do meio ambiente"; e, pra encerrar, por enquanto, "implantar o programa Cidade Limpa, melhorando a coleta de lixo, valorizando os catadores e implantando a coleta seletiva de forma seletiva". Quem, dentre os/as leitores/as, encontrar alguma coisa desta cumprida ou, pelo menos, sendo feita pelo atual prefeito de Bayeux, ganha um doce....
O que constatamos, na prática, é um prefeito profundamente contraditório, para dizermos o mínimo. Logo no início de sua gestão, Berg Lima ameaçou a cidade e seu povo de encerrar o contrato com a empresa atual - a MB - e, com isso, suspender os serviços de coleta de lixo na cidade com cerca de 100 mil habitantes. Ao mesmo tempo, choviam denúncias de que este queria colocar na cidade uma outra empresa, de menor porte que a primeira, para realizar o mesmo serviço. Por um determinado período, os trabalhadores da MB tiveram seus salários atrasados por conta da falta de pagamento da Prefeitura à empresa e desta para com seus funcionários. Berg Lima alegava que tal dívida era da administração anterior, mas era ele que estava como prefeito da cidade e, assim, ele tinha que assumir tanto os bônus quanto os ônus de uma administração. Se era verdade que havia dívidas da época de Expedito Pereira enquanto prefeito à empresa coletora de lixo MB - e era real a informação -, era real também a informação de que a atual gestão não queria realizar tais pagamentos e vinha atrasando os pagamentos de sua responsabilidade. Assim, era o sujo falando do mal lavado!!!
Passada essa fase, e regularizada a situação, assistimos agora mais uma informação que nos surpreende, não apenas a este blogueiro, mas também a todo o povo de Bayeux. Tal informação é oficial e vem de um extrato de licitação feito pela própria Prefeitura de Bayeux, aonde esta prorroga, por mais três meses, o contrato com a atual empresa MB, a prestação de serviços desta com a coleta de lixo na cidade de Bayeux. Senão,vejamos:


Queremos ressaltar que, em outras administrações, é comum haver a prorrogação de contratos como este, sem nenhum problema. Mas, o que chama a atenção, neste caso, são duas coisas, especialmente a segunda, que iremos tratar: a primeira, é que a própria gestão fazia várias críticas à empresa MB e, agora, inexplicavelmente, faz uma prorrogação do contrato com esta; e segunda coisa, a mais intrigante, neste contrato aditivo, não existe, em nenhum momento, o valor desta prorrogação de contrato, apenas o tempo deste aditivo, que são de três meses a mais de contrato, de abril a julho deste ano. O prefeito Berg Lima deve uma explicação ao povo de Bayeux. Mais uma, porque no caso nebuloso dos tablets dos ACS também ocorreu este mesmo problema em seu edital!!!
Assim, companheiros e companheiras de Bayeux, assim vai caminhando a gestão da ATITUDE. De início, com muita expectativa por boa parte do povo da cidade, mas com pouco mais de 100 dias, se envolvendo em questões extremamente nebulosas. Ainda há tempo para se ajeitar, mas do jeito que vai.................. 

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Uma comparação da ATITUDE com a VELHA POLÍTICA!!!




Finalmente, depois de 5 meses de governo da ATITUDE em Bayeux - é assim que se autodenomina a nova gestão municipal da cidade, encabeçada pelo prefeito Berg Lima (Podemos) e seu vice, Luiz Antonio (PSDB) -, foi publicada no Sagresonline, do TCE/PB, a relação da folha de pessoal dos três primeiros meses da atual gestão do quinto maior município da Paraíba, em termos de arrecadação e PIB, a cidade de Bayeux.
Apesar de já existir, há anos, uma lei estadual que obriga as prefeituras e tb o governo estadual a terem portais de transparência e a publicarem nestes e/ou publicarem no portal do TCE/PB, tal relação, apenas agora estamos tendo acesso a tais informações públicas, que já deveriam estar disponibilizadas a toda a população já há algum tempo, haja visto que no caso recente, esta foi uma das principais causas do então candidato Berg Lima à Prefeitura de Bayeux contra o candidato que representava a "velha política", no caso o ex-prefeito, Expedito Pereira (PSB). No entanto, só agora temos estas informações, que colocamos ao dispor de todos/as, com base a algumas análises feitas, para apreciação dos/as leitores/as!!!
Só para deixar claro a todos/as, no Sagresonline, encontramos os dados da folha de pessoal da Prefeitura de Bayeux, relativo aos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano e, para clarear bem as coisas, fizemos um comparativo do mês de março deste ano com o mesmo mês de março do ano passado (2016), da gestão de Expedito Pereira, que Berg Lima e seus aliados tanto criticam, para verificar se os números dão razão a eles. Confiram!!!

FOLHA DE PESSOAL DA PREFEITURA DE BAYEUX

MARÇO/2017
EFETIVO
ELETIVO
COMISSIONADO
PS
1629
12
302
2054

FOLHA DE PESSOAL DA PREFEITURA DE BAYEUX
MARÇO/2016
EFETIVO
ELETIVO
COMISSIONADO
PS
1692
12
308
1766

Vale salientar que as tabelas acima foram feitas com dados oficiais, fornecidos e constados pelo/no Safresonline do TCE/PB. Qualquer pessoa pode constatar a veracidade dessas informações no site citado. 
Podemos perceber, com essas informações, algumas coisas interessantes, comparando as duas gestões municipais. Por exemplo, podemos verificar que existe apenas uma coisa idêntica entre as duas, que é o número de pessoal eletivo no mesmo período, ou seja, 12 servidores, que neste caso, compreende os 10 conselheiros tutelares, o prefeito e o vice-prefeito, todos eleitos pelo voto popular. No restante, diferenças, para mais ou para menos!!!
Entre março/17 e março/16, verificamos que houve uma diminuição no número de servidores efetivos na administração municipal (3,86% no mesmo período), provavelmente provocado por falecimento, aposentadoria ou até mesmo transferência para outro cargo, em outro município ou Estado, devido aos baixos salários pagos em nossa cidade; isso se deu também em relação ao número de cargos comissionados, mas em número bem pequeno (apenas 6). Isso é de se espantar, já que durante a campanha eleitoral, o então candidato Berg Lima criticava bastante o ex-prefeito, Expedito Pereira por "inchar" a máquina pública com apadrinhamentos. Acreditávamos que era uma crítica positiva, mas que esses números provam que a crítica era mera figura retórica, que a prática na gestão não condiz com o discurso das ruas, o que é uma pena e serve para desacreditar ainda mais a gestão. Por fim, também contradizendo o discurso pregado na campanha, houve um significativo aumento no número de prestadores de serviço na Prefeitura de Bayeux, os famosos/as "contratados/as": cerca de 16,3%, ou exatos 288 novos servidores/as!!! 
Isso tudo serviu para fazer com que o total de março/17 fosse superior ao de março/16, em números gerais: 3997 contra 3778!!! Assim, a gestão da ATITUDE se mostra, em apenas 90 dias, segundo os dados do Sagresonline, tão nociva à cidade de Bayeux quanto foi a gestão de Expedito Pereira no quesito folha de pessoal. São os números, fornecidos pela própria Prefeitura Municipal de Bayeux ao TCE/PB, que demonstram isso, e não a nossa avaliação!!!   
Apenas para explicitar mais um elemento para todos/as. Em março de 2016, as três categorias que mais tiveram servidores/as na Prefeitura, colocadas por seus aliados, foram: 1) professores/as (352); 2) auxiliares de serviços gerais (240); 3) monitor (120). Em março de 2017, as três categorias que mais tiveram servidores/as na Prefeitura, colocadas por seus aliados, foram: 1) professores/as (317); 2) auxiliares de serviços gerais (286); 3) vigilantes (139). Houve, de um ano para outro, algumas diferenças. Por exemplo, no caso dos/as professores/as, ocorreu uma diminuição na quantidade, de cerca de 1,10%; outra diferença se deu entre os auxiliares de serviços gerais, desta vez para mais, de cerca de 1,91%; uma terceira diferença se deu numa troca entre monitor e vigilantes, de um ano para outro. Ainda assim, existem diferenças. No caso de monitor, entre 2017/2016, há uma diferença superior de 9,1% neste cargo, deste ano para o ano passado; no caso de vigilantes, há uma diferença tb entre 2017/16, de 33,65%!!!
Não iremos fazer nenhuma avaliação sobre o porquê dessas diferenças específicas, cada companheiro/a é livre para fazê-lo, ok???  
O que afirmamos é que a atual gestão de Berg Lima, carregada de expectativa por toda a população de Bayeux, consegue um feito que Sara Cabral, J. Júnior e Expedito Pereira não conseguiram em tão pouco tempo: decepcionar tantos/as em pouquíssimo tempo. Isso é ATITUDE!!! 
Com a palavra, o prefeito Berg Lima e seus aliados de primeira hora (se puderem, evidentemente). Inclusive os diretores do SINTRAMB, que estão na atual gestão municipal, ok???